VI Interbusiness – Reframing: A Arte de Vencer Desafios em Tempos de Crise

Durante a noite de abertura da sexta edição do Interbusiness, que aconteceu durante os dias 7, 8 e 9 de maio de 2015, o presidente da FESP, prof. Carlos Eduardo de Athayde Guimarães, lembrou-se de um importante encontro com o vencedor do Prêmio Nobel da Paz, Muhammad Yunus, quando este lhe disse que o reframing foi um conceito essencial para a onda de empreendedorismo na Índia, promovida pelo microcrédito do banco fundado por ele para atender aos pobres, o Grameen Bank.

“Reframing é uma abordagem para repensar a empresa sob diversas perspectivas (frames). Todos temos modelos mentais ou pressupostos sobre o que funciona e como, na tentativa de tornar o mundo mais racional e previsível para se viver e trabalhar. Reframing implica repensar o quadro que temos diante de nós, revisar conceitos analisando o contexto sob várias perspectivas, buscando o melhor sentido para definir o curso de ação mais adequado”.

A definição acima é de Roberto Rinaldi, engenheiro com experiência em processos e reengenharia na BM&FBovespa e na AT&T e um dos palestrantes da sexta edição. O conceito de reframing como tema ganhou em importância pela situação econômica e política enfrentada pelo país.

Especialista em desenvolvimento de capital humano, Jeffrey Magee palestrou sobre o tema “Código de trajetória: mudando as suas decisões, ações e direção”, unificando as aplicações do conceito de reframing apresentadas durante as palestras dos dias anteriores:

“Nesses 30 anos de pesquisa e livros publicados sobre capital humano, tenho reconhecido que a diferença entre as pessoas bem-sucedidas e as outras é que elas sempre reconhecem rapidamente quando estão trilhando um caminho limitado, saindo dessa trilha para buscar a trajetória que não tem fim, ilimitada, de forma rápida – decisão que favorece o sucesso da mudança”.

Durante sua palestra, Jeffrey Magee presenteou o presidente da FESP com a primeira cópia do seu novo livro, The Managerial Leadership Bible, lançado nos Estados Unidos algumas semanas após o evento.

A segunda edição do Interlaw reuniu as professoras da FESP, Alexia Brotto Cessetti e Andrea Abrahão Costa, que apresentaram suas teses para a obtenção do título de doutoras pela FCU. Após as palestras, teve início o painel de discussão formado pelo desembargador Dr. Vladimir Passos de Freitas e pelas professoras mencionadas, com mediação de Stefano Portigliatti.

Na programação do último dia do evento, os palestrantes participaram de uma atividade com alunos do Colégio Sesi Internacional de Ponta Grossa. A atividade consistiu em um bate-papo em inglês sobre a importância do conceito de internacionalização, com cada palestrante contando um pouco de sua experiência no assunto. Também estiveram presentes no almoço o presidente da FESP, prof. Carlos Eduardo Guimarães, e Lilian Luitz, gerente de educação do Sesi, além de diretores e professores do Colégio Sesi.

A sexta edição também ficou marcada pela participação de empresas que internacionalizaram seus negócios graças ao evento, entre elas a Rota do Mar e a Sucos Wing. Outro constante parceiro que se fez presente foi o reitor da Unifuturo (João Pessoa – PB), que homenageou o presidente da FESP com o Prêmio em Excelência em Educação pela Associação Nacional de Graduados e Pós-Graduados em Universidades Europeias e Americanas (Anpós), nomeando-o como embaixador da instituição no Paraná.

Palestrantes:

Jeff Magee
Claudemir de Oliveira
Marcelo Peruzzo
Paulo Sérgio Rosa
Lauren M. Pitchford
Stefano Portigliatti
Renato Opice Blum

Os comentários estão encerrados.